Apesar do Novembro Azul já ter passado, o alerta para os riscos de desenvolver câncer de próstata continuam. Afinal, não existe hora marcada para uma doença. Portanto, é muito importante dar atenção a um problema que atinge milhares de homens todos os anos no Brasil.

Segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca), a estimativa é que 61,2 mil casos da doença tenham sido registrados no país no ano de 2016 – o que corresponde a 28,6% de todos os quadros de câncer em homens.

Como prevenir câncer de próstata

Para ajudar na prevenção é possível manter hábitos simples no cotidiano que podem diminuir as chances de desenvolver o câncer de próstata. Um bom exemplo é a prática regular de exercícios físicos, indicada especialmente aos idosos, já que as chances de incidência aumentam com o avanço da idade.

“Pacientes que fazem exercícios regularmente e são adeptos de uma dieta rica em fibra e pobre em gorduras têm menos chances de desenvolver a patologia”, afirma o Dr. Ying Li Chiang, coordenador de Urologia do Hospital San Paolo, da Zona Norte de São Paulo (SP). “Isso ocorre porque a atividade física diminui a produção de substâncias inflamatórias e ainda estimula a resposta imunológica”, acrescenta. Quanto maior a frequência de exercícios, menor a probabilidade de apresentar a doença.

Tipos de exames

Ainda com muito tabu por parte da população, o que prejudica a prevenção da doença, são importantes exames preventivos na rotina masculina, já que o câncer de próstata, em seu estágio inicial, não apresenta qualquer sintoma. Porém além do famigerado exame do toque (retal) existem outros

  • Exame de sangue chamado Antígeno Prostático Específico (PSA); 
  • Biópsia da próstata com ultrassom transretal.

“No geral, homens a partir dos 50 anos devem começar a fazer os exames. Já para aqueles que se enquadram em fatores de risco – como os que têm histórico familiar, consomem bebidas alcoólicas e tabaco, são negros, obesos e possuem dieta rica em gorduras –, a idade recomendada é 45 anos”, finaliza o urologista.